Uma Nova Visão do Esporte


POR 4 X 2 BRASIL SE CLASSIFICA: FINALMENTE OS GOLS DE PATO E NEYMAR

Total adrenalina foi o que a torcida brasileira sentiu durante o jogo de ontem, 13/07, contra o Equador. O que parecia um time fraco, deu muito trabalho e chegou a eliminar o Brasil com placares de empate, mas Alexandre Pato e Neymar comandaram a Seleção rumo à classificação. Vamos ao jogo:
O primeiro tempo não teve tanta emoção, mas o primeiro gol de Alexandre Pato animou a torcida. Aliás, vamos combinar que a torcida brasileira estava meio fraca ali, hein?! Os equatorianos gritavam como loucos e os brasileiros: cri, cri, cri, cri... Aí veio o tão esperado gol do Brasil e ouvimos uma gritaria. Gritaria que pouco durou porque logo veio o gol do Equador, marcado por Caicedo. Que nome é esse??? Pior que o nome do atacante equatoriano só o frango do Júlio César. Esse é o único goleiro do qual eu não esperava um frango... Mas, aconteceu e todos estamos fadados a falhar. Ainda assim, continua sendo inaceitável. :D O primeiro tempo terminou no 1 x 1. 
 
FOTO: EFE
 
Já no segundo tempo, o Brasil veio mais ofensivo, assim como o Equador e foi aí que a verdadeira emoção (ou o verdadeiro desespero) começou. Brasil não conseguia manter a posse de bola e quando o Equador ameaçava, o coração batia mais forte. Foram longos momentos de aflição, até que Neymar decidiu trabalhar direito, fez o seu primeiro gol e comemorou com soco no ar, o que pra mim sempre será a comemoração mais bonita, que dá a sensação de "poder" ao jogador. Vencendo por 2 x 1 o Brasil se classificava, mas o Caicedo estava afim de fazer o Brasil cair cedo da competição, nos eliminando ainda na 1ª fase e fez o seu segundo gol. Detalhe: Mais um frango de Júlio César. Como assim??? Bom, a essa altura do campeonato (literalmente) bateu o desespero e o desânimo. Bastava um equatoriano triscar na bola e logo vinha o medo de eles fazerem outro gol.
O empate de 2 x 2 deixava o Brasil empatado como Paraguai nos pontos, nas vitórias (que não foi nenhuma) e no saldo de gols. Mas perdíamos pela quantidade de gols marcados.
Para fazer a festa, Pato mostrou serviço mais uma vez e fez o seu segundo gol, o terceiro da Seleção. 3 x 2 classificava o Brasil.
Momentos complicados deixavam a torcida canarinha aflita, mas o gol do Equador não saiu. Pelo contrário: Neymar aumentou a vantagem e garantiu nossa classificação em 1º lugar no grupo, o que nos leva a outro duelo contra o Paraguai. Vamos ver no que vai dar esse jogo.
Agora vamos analisar alguns pontos interessantes da partida:
1. Tinha argentino na torcida brasileira. Como assim??? Sabe-se lá por que, los hermanos se misturaram aos brasileiros com camisa da Argentina, claro, e estavam ali torcendo por nós. Era uma miragem?
2. Robinho jogou mal novamente e eu estava torcendo pela substituição dele desde o 1º tempo. O pior de tudo foi o azar dele. Quando, finalmente, ele conseguiu um bom lance e marcou o QUINTO gol da Seleção, o bandeirinha marcou impedimento e o juiz anulou o gol. Foi uma vergonha porque ele não estava impedido coisa nenhuma.
3. Ganso jogou um pouco melhor, mas teve suas falhas também. A impressão que tenho é de que ele estava preocupado e receoso de pegar a bola e perdê-la e, por isso, apenas tocava. Não corria com a bola. Apenas após o segundo gol de Pato, quando o time já estava mais confiante, ele começou a carregar a bola pra frente, mas não deu o show que gostaríamos de ter visto.
4. Tá, Neymar fez dois gols, mas ainda tem uma falha que precisa ser corrigida urgentemente: O desejo de cavar falta. Ele faz uma boa jogada e tem chance de chutar a gol, mas se encostarem nele, ele prefere se jogar no chão e pedir falta. Bom, na maioria das vezes não dá certo e ainda bem que ele não fez isso tantas vezes no jogo de ontem. No geral, jogou muito bem e deu motivo pra tanto clube querer contratá-lo. Mas, por que raios ele ficava correndo pra zaga? Até agora não entendi.
5. Maicon deu um show e criou jogadas espetaculares a nosso favor, claro. Pela lateral direita ele tomou conta do jogo e apareceu até mais que o próprio Alexandre Pato. No primeiro tempo deu raiva de ver ele tentando fazer gol lá da lateral ao invés de cruzar, mas depois ele viu que não ia dar mesmo e desistiu de tentar.
6. Lúcio foi o salvador da pátria em vários momentos. Quando ninguém segurava o Equador, ele chegava com tudo e tirava a bola de qualquer jeito. Sério, sem ele ali, com certeza o resultado não seria 4 x 2.
7. Mano Menezes: Afinal, o que leva um técnico a não comemorar um gol e ficar bebendo água tranquilamente, sentado? Não faço ideia.
O resultado que deveria ter sido uma bela goleada de 5 x 2, se o bandeirinha não estivesse vendo coisas, nos leva às quartas de final contra o Paraguai, no domingo, às 16h.
Com sufoco, a classificação foi garantida, mas é melhor não festejar antes da hora porque, que eu me lembre o jogo contra o Paraguai foi bem difícil e se não fosse o Fred, era uma vez a Copa América.


Escrito por thays.news às 09h24
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


RBR APRENDEU COM A FERRARI: ORDENS DE EQUIPE DECEPCIONAM WEBBER

Estava parecendo mocinha de novela até o momento, mas o encanto terminou com uma ordem da equipe RBR ao piloto Mark Webber que vinha atrás de seu companheiro, Sebastian Vettel, tentando lhe tomar a segunda posição no GP da Inglaterra. A equipe disse ao australiano que não tentasse ultrapassar Vettel. Conforme Webber, ele recusou as ordens por algumas vezes, ignorando o que ouvia no rádio. Mas, por fim, desistiu de tomar a posição do alemão. Alonso já tinha sumido à frente dos dois e só perderia a corrida se cometesse um belo de um erro, o que não aconteceu.

Webber reclamou da ordem e o diretor da RBR, Christian Horner, defendeu suas razões dizendo que não poderia arriscar perder 33 pontos, afinal, não podemos esquecer que o piloto não está disputando apenas para levar o título ao final da temporada, mas para dar o título à sua equipe, pois é ela quem lhe dá ou não todas as condições para vencer. Bom, dando ou não essas condições, uma ordem de equipe é sempre injusta, especialmente no caso da RBR que já dispara na frente no mundial de construtores. Não devemos, porém, desconsiderar o receio do diretor, afinal, tivemos no ano passado uma disputa que acabou mal para os pilotos e para a equipe. No GP da Turquia, o causador do acidente foi Vettel que tentava tomar a ponta, mas bateu em Webber que precisou fazer um pit stop e terminou a corrida em terceiro. O alemão abandonou a corrida e, através de gestos, insinuou que seu companheiro era "louco".

Uma solução seria: Deixar o povo brigar. Eles precisam estar conscientes dos riscos aos quais estão expostos e estão expondo a equipe. Se a equipe for prejudicada pela imprudência de um piloto, contrata outro. Não é a melhor solução, mas afinal de contas, não há uma que agrade a todos. O problema é que a equipe investe, trabalha, gasta, desenvolve e paga o salário do piloto. Deveria ser ela a prejudicada? Bom, apesar de tudo, continuo discordando do jogo de equipes. O próprio Vettel não desaprova as tentativas de Webber.

- Se fosse o contrário, é claro que eu tentaria ultrapassar Mark. Não vejo por que fazer tanto barulho com isso.

O desempenho de Fernando Alonso no GP foi espetacular. Largou bem, mantendo a posição, e ganhou posições no azar de Vettel. Quando os dois entraram nos boxes (Alonso atrás) eu falei: "Quando Alonso estacionar, o Vettel já vai estar saindo de tão rápido que é o pit da RBR." Só porque eu falei, não aconteceu. O macaco de trás do carro não funcionou, o mecânico teve que trocar e Alonso saiu na frente ganhando a ponta da corrida. E o Vettel com as fotos dos mecânicos no capacete... Deu azar.

Felipe Massa largou muito mal. Claro teve gente largando pior, mas estamos acostumados a ver o brasileiro largando sempre bem, ganhando posições logo nos primeiros segundos. Desta vez, ele não só não ganhou posição alguma, como perdeu uma. O Hamilton que largou em décimo e não sei como chegou tão rápido na sexta posição, logo ultrapassou Massa. Os dois ainda tiveram uma briga bonita na última volta e Hamilton levou a melhor. Tocou a Ferrari, mas Felipe não reclamou e disse ter sido uma disputa normal de corrida. Se ele não reclamou, nós é que não vamos reclamar. Vale lembrar um fato impressionante que talvez não se repita mais: Os pit stops da Ferrari foram excelentes e teve até parada de 3.2. Realmente, é momento pra eternizar porque não sabemos se isso se repetirá.

Button quase não apareceu nesta corrida. Foi notado apenas em três momentos: Na ultrapassagem sobre Massa na largada, em uma dividida também com o brasileiro, na qual jogou muito limpo, e no azar do pit stop. O inglês estava na terceira posição quando foi pra os boxes e o mecânico o liberou antes da hora. Button saiu com a roda dianteira direita solta e abandonou a prova. Sem pontuar, perdeu a vice-liderança do campeonato.

Hamilton fez uma corrida muito boa, ultrapassando um atrás do outro, mas como isso é o normal dele, não há novidades a avaliar, então vamos pular para outro ponto.

Os mecânicos tiraram o dia para errar. Aqueles bonitinhos que liberam a saída dos pilotos (os homens do "pirulito") devem estar fazendo greve. Vai ver atrasaram os salários porque além do erro com Button, também liberaram Kobayashi antes da hora e o piloto acabou tocando Maldonado. Koba foi punido por isso. E é esta a novidade do fim de semana: Punição diferente, finalmente. Uma punição muito cruel é a Stop & Go, na qual o piloto tem que entrar nos boxes, estacionar o carro, aguardar 10 segundos e então pode sair. Isso foi o que aconteceu com Kobayashi (que pagou o pato pelo erro do mecânico) e com Schumacher por um toque em Koba. E Schumi reclamou que a punição não precisava ser tudo isso. Pelo menos saiu da rotina do drive through. Mas, que essa punição é cruel, é. Realmente exageraram, pois houve casos piores que mereceram isso, mas os comissários passaram a mão na cabeça. Fazer o que?

No final de toda a loucura, a classificação em nada se parece com o grid de largada:

1. Fernando Alonso

2. Sebastian Vettel

3. Mark Webber

4. Lewis Hamilton

5. Felipe Massa

6. Nico Rosberg

7. Sergio Pérez (olha só quem está aqui!)

8. Nick Heidfeld

9. Michael Schumacher

10. Jaime Alguersuari

 



Escrito por thays.news às 08h58
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


DOMINGO DE ALEGRIAS E DECEPÇÕES PARA O FUTEBOL BRASILEIRO

Esse foi um domingo de sufoco e foi preciso fôlego pra aguentar tudo o que aconteceu no futebol. Em resumo, o que aconteceu foi o seguinte:

1. A Seleção feminina perdeu para a Noruega por 3x1. Feminino é assim mesmo, né? Mulher não nasceu pra futebol.

2. A Seleção Brasileira goleou a Venezuela por 4x0, como já era de se esperar.

3. Seleção Sub-17 perdeu para o Japão por 2x1 nas quartas de final e está eliminado do Mundial Sub-17. Time ruim é assim mesmo.

Agora, vamos deixar a mentira de lado e admitir o que realmente aconteceu. A vitória tão esperada sobre a Venezuela NÃO ACONTECEU!!! Ficamos num vergonhoso empate 0x0. A Seleção feminina fez um jogaço e venceu a Noruega por 3x0. E a Seleção do Sub-17 está classificada para as semifinais do Mundial!!! Se a Seleção principal não fez o que devia, as outras nos encheram de orgulho porque, vamos admitir, a seleção feminina jogou muuuito e no Sub-17, lá estava o Adryan fazendo o show dele mais  uma vez. Onde esse menino vai parar hein?! Mano, olha um aqui pra fazer o que o Robinho não tá fazendo! Leva ele!!!

Vamos por partes:

A Seleção feminina fez uma partida de impressionar. Quem assistiu vibrou com cada drible e cada comemoração de gol. Marta mostrou mais uma vez porque é a melhor do mundo (eleita por cinco anos consecutivos)! No segundo tempo, então, começou humilhando. Essa é a palavra: Humilhando. O que aconteceu foi que logo no primeiro minuto, Marta arrancou e deu o passe na medida pra Rosana que tocou no cantinho e marcou o segundo gol do Brasil. O primeiro gol tinha sido adivinha de quem!! Da Marta!! Mas, o que mais impressionou foi uma bobeira que a Seleção Norueguesa deu entregando a bola pras brasileira novamente, desta vez, pra Marta marcar seu segundo gol aos três minutos do segundo tempo. O resto era só festa. Mulher nasceu pra futebol sim!

A Seleção principal masculina foi pra um jogo contra a Venezuela e tanto a torcida quanto o time estavam cheios de expectativas. Tá, peraí. A verdade é que todo mundo achava que a vitória estava certa mesmo que a vantagem do Brasil sobre este time tenha sumido nas duas últimas partidas (agora, três últimas). Em resumo, a história foi essa:

1. Robinho não fez o que tinha que fazer. Resultado: Saiu do campo sob as vaias da torcida (tenho até dúvidas quanto a isso).

2. Neymar não chutava no tempo certo e perdia o melhor momento pra mandar pro gol. Resultado: Perdeu todas as oportunidades de gol.

3. Alexandre Pato sempre chegava perto de marcar, mas chegar perto não é suficiente. Chutou, finalizou, mandou na trave, conseguiu escanteio, mas... NADA DE GOL! Resultado: Não abriu o placar e foi substituído injustamente, penso. Tudo bem que o patinho só tava dando patada e, em alguns momentos, fazendo patetice, mas ele era o único que tava jogando alguma coisa!!!

4. Paulo Henrique Ganso (o paraense do qual eu sou puxa saco porque sou de Belém) não jogou nada, aliás quase nem tocou na bola. Resultado: Nenhum! Simples: Não deu resultado nenhum. Ah, Ganso! Não me faça uma vergonha dessas... :D

O início do primeiro tempo até nos iludiu. Pensamos que realmente seria aquele resultado tão esperado. Mas, parece que a pilha foi descarregando, os jogadores foram ficando mais lentos, as jogadas espetaculares que nos levariam aos gols sumiram e tudo foi virando um desânimo inevitável.

Robinho foi substituído, tudo bem. Ramires se machucou e também teve que sair pra entrada de Elano. Mas, tirar o Pato pra colocar o Lucas? Aí não dá!! Tá, a torcida pedia o Lucas e ele ia fazer um bom trabalho ali sim, mas NÃO NO LUGAR DO ALEXANDRE PATO. Aí pronto. Saiu o único que tava ali jogando futebol porque o resto tava jogando pelada. Na saída, a torcida vaiava, claro, não gostando nada da substituição. É aí que está minha dúvida. Quando Robinho saiu, foi vaiado porque não jogou bem ou porque a torcida queria ele em campo? Do jeito que ele tava jogando, acho que foi vaia de críticas a ele mesmo e não ao Mano Menezes. Vai saber...

Já no Sub-17, quem apareceu mais uma vez foi Adryan que vem garantindo seu espaço com tanto talento. O jovem tem se destacado na Seleção e, nas quartas de final, contra o Japão, marcou mais um gol que garantiu a classificação brasileira. O jogo terminou nos 3x2 com a Seleção passando o maior sufoco e, se não fosse o gol do Adryan, teria ficado no empate. Aí, tava todo mundo na roça!

No globoesporte.com, o título da matéria sobre o jogo Brasil x Venezuela foi UM DIA DE CÃO. Sério, eu ri!! Esse foi realmente um dia de cão.  Foi tudo uma loucura só e, pra completar, teve literalmente um cão passeando pelo campo. Essa foi a graça do jogo. Esse cachorro foi mais estrela que Ganso, Neymar e Pato juntos! Mas, o que eu me pergunto até agora é: de quem é aquele cachorro?



Escrito por thays.news às 09h09
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Histórico


Votação
Dê uma nota para
meu blog



Confira também
 Follow Esporte Vision